Pixel do Facebook

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Dica para a 1ª. Viagem Solo? ESPANHA, com certeza!


Compartilho muito sobre minhas experiências de viagem solo, principalmente para inspirar mulheres que querem ir pela 1ª. Vez.
Já falei aqui sobre planejamento, decisões, finanças, sensações, solidão, etc.
Mas tem uma pergunta que é recorrente:
Qual destino eu indicaria para alguém que quer fazer sua primeira viagem solo?
Minha 1ª. Experiência sozinha foi na Espanha e lá estive outras vezes. Definitivamente é para onde eu sempre desejo voltar e volto.
A época que mais gosto de estar lá é no verão, e já pensando nas etapas de planejamento para uma bela viagem no verão europeu/Espanha, decidi compartilhar dicas e lugares que são excelentes e acolhedores para mulheres sozinhas.
Para planejar um destino, a primeira recomendação: pesquise muito! Entre na realidade e descubra as facilidades que a Espanha pode proporcionar numa primeira viagem solo.
Porque a Espanha é um destino especial para a sua viagem solo?
O calor escaldante até poderia ser desanimador, mas o contraponto é a animação que embala todos que lá estão e tem uma alegria muito parecida com o Brasil.  No verão, o sol desaparece depois das 10 da noite.
Um país que proporciona segurança para circular pelas cidades, excelente rede de transportes entre as cidades, seja de trem ou ônibus e é possível caminhar contemplando cada pedaço da história por várias cidades.
E uma dica: eu procuro ir de TAP para dar aquela passadinha em Portugal. Que seja pelo menos de 1 dia. O aeroporto de Lisboa é muito agradável e é muito fácil tomar aqueles ônibus de turismo e dar uma voltinha na cidade, antes de seguir para Espanha
Tem uma outra coisa que eu gosto muito: a informalidade da Espanha no verão. Isso me proporciona uma mala muito menor.
A língua não é problema algum. O país recebe pessoas de vários lugares do mundo e é muito fácil se comunicar e se divertir com o português mesmo ou algumas poucas palavras hispânicas.
As possibilidades são inúmeras e recomendo alguns roteiros para aproveitar bem as diversas opções:
Madrid + Andaluzia
Madrid + Barcelona + Cataluña
Portugal + Galícia
Andaluzia + Marrocos
Quando fui a 1ª. vez (2002) fiz uma excursão pela Espanha completa por cerca de 23 dias, apesar de ter sido muito corrido, tive uma degustação de todas as culturas da Espanha e foi nessa viagem que conheci o flamenco. Já pensou em fazer aulas de flamenco? Sim, é muito comum mulheres de todas as idades e de vários lugares do mundo se permitirem essa ousadia mesmo sem nunca terem feito aula no Brasil.

Apesar de ser conhecida como a cidade para notívagos, a cidade é cheia de atrativos de dia para quem ainda não tem muito segurança em sair à noite sozinha. Mas atenção: no verão, o sol se põe depois das 10 da noite, fatalmente você estará circulando pela cidade à noite
O que você encontrará em Madrid? um roteiro cultural, tapear pelos bares, se integrar na rotina da cidade, tudo isso sem receio de estar sozinha. É possível também conhecer Toledo, num dia de bate-volta e trem, seguro e divertido.
Aqui, nesse link, escrevi um roteiro detalhado sobre Madrid, mas resumindo, você pode: bater perna o dia todo, ir ao parque do Retiro, caminhar pelo Palácio, conhecer o Prado e a Reina Sofia, museus imperdíveis e maravilhosos com café acolhedor e comer muito bem e do jeito que você se sentir mais à vontade.

Andaluzia é o sul da Espanha, com uma cultura predominante árabe e cigana, composta de 8 províncias, cuja capital é Sevilha! Cada província merece ser visitada por um dia e algumas merecem mais dias de permanência, tais como Granada, Málaga, Cadiz e Sevilha. A melhor forma de conhecê-la é de carro, trem ou ônibus!
O clima é bem definido: no verão podemos ter até 45 graus em algumas cidades (Sevilha é uma cidade bem quente) e no inverno cheguei a pegar uns 5 graus em Granada. A região é forte na produção de azeite e de vinhos finos de Jerez.  A cidade mais populosa é Sevilha, com cerca de 700 mil habitantes, seguida por Málaga (500 mil), Córdoba (300 mil), Granada (230 mil) e Jerez de la Frontera (200 mil). Nessa região se concentra a população cigana na Espanha que gira em torno de 500.000 a 800.000 indivíduos.
Então imaginem a região com forte cultura árabe, que tem na sua população a concentração do povo cigano da Espanha e está ali, pertinho da África! Entenderam porque não dá para comparar Andaluzia com outras regiões da Espanha?
Por ter a maior concentração da população cigana da Espanha, é muito mais fácil encontrar flamenco em cada uma dessas cidades e escolas para conhecer, além dos shows de tablado.


Taí uma cidade que encanta e te deixa muito à vontade. Lugares excelentes para hospedagem para todos os bolsos, muitas pessoas viajando sozinhas, simpatia por todos os lados à maneira andaluza. Eu a considero a Paris de Andaluzia. Tão linda, elegante, cheia de mistérios, histórias e personalidades. Sevilha foi o berço dos intelectuais do romantismo no séc XVIII e inspirou muitos romances, filmes, músicas e proporcionou muitos encontros com festas andaluzas. Foi também a inspiração de filmes hollywoodianos entre as décadas de 40 e 50, onde nasceu o estereótipo cigana e toureiro. Hoje é um destino badalado e de passagem quase que obrigatória de quem vai à Espanha. E o mais impressionante é que quem vai pela primeira vez, volta com a sensação de que deve voltar pelo resto da vida.
E o que podemos encontrar nessa cidade tão forte?




Quer gastronomia?  Tem de tudo. De bons restaurantes padrão internacional, aos bares de tapas.
Quer sair à noite e aproveitar os bares no bairro judeu? Isso é imperdível. Cada labirinto, cada curva, um bar e muitas pessoas conversando e rindo, mas sempre bebendo algo, claro!
Quer um jantar às margens do Guadalquivir? É só cruzar a ponte de Triana e escolher o que mais agradar. São restaurantes para todos os preços e gostos. E se quiser ir somente caminhar às margens do Rio, não há nenhum perigo à noite.
Quer bater perna o dia inteiro sem rumo? A Calle Sierpes é o ponto de referência e de passagem, principalmente na hora que o calor está a mil, coberta com umas tendas, fazendo sombra para os pedestres.
A Sierpes começa na Campana onde cruzamos para o Paseo de Hercules e seguimos para o bairro de Macarena e, no oposto, quando termina a Calle, encontramos a vista da Ponte de Triana. É só seguir e chega-se a Triana.
E porque a Calle Sierpes tem esse nome? No final dela existiu o “Cárcel Real”, onde esteve preso Miguel de Cervantes e conta numa lenda que o nome “Sierpes” é por causa de um mistério de crianças desaparecidas que foi solucionando quando encontraram uma serpente de mais de 6 metros. Na Sierpes é onde estão as lojas mais badaladas da Europa (Mango, H&M, Zara, etc) a preços bem razoáveis.
Triana: Eis aqui o Berço do Flamenco. Os ciganos chegaram em Sevilha em 1740 e se fixaram fora dos muros da cidade, no bairro chamado Triana. Lá conviviam pacificamente com os judeus que trabalhavam com as cerâmicas, enquanto os ciganos como ferreiros, açougueiros, etc. Ali o flamenco nasceu, transbordou e cruzou o mundo!
Em 1950 o governo expulsa essa população de Triana em nome da especulação imobiliária, pois o bairro é localizado às margens do Rio Gualdalquivir, muito privilegiado. Acabou-se a vida festiva de Triana. Mas hoje o bairro é “cult” e muito atraente para turismo com inúmeros bares e vida boêmia.
No Museu del Baile Flamenco sempre tem apresentação de flamenco à noite, além de uma loja espetacular. O museu tem um acervo da Cristina Hoyos e Gades de emocionar. O recomendado é visitar o museu e ficar para ver o show que ocorre em 2 sessões à noite. A Casa de la Memoria também é outro local que tem programação no verão e tem que reservar com antecedência.
Sempre que vou a Granada fico impressionada com a quantidade de mulheres viajando sozinhas e em grupos de amigas. Muito democrática, permite uma variedade de experiências e as hospedagens são adequadas para todos os bolsos. Você pode ficar na parte antiga da cidade ou na parte mais urbana. A mobilidade é muito fácil: tudo se faz a pé.
Prepare-se para passar dias de chinelos, shorts e camisetas. O calor é intenso e a hora da siesta é muito desejada!  Granada é um mundo de descobertas. Essa foi a última cidade tomada pelos Reis Católicos em 1492 e tem na sua cultura arraigada as cuevas de Sacromonte, o bairro árabe Albaicin e o bairro judeu, tudo num raio cerca de 5km. A cidade deve ser explorada a pé, pois as ruas são muito estreitas e há muitas coisas a serem vistas e vividas enquanto se caminha. Alhambra, Catedral, Bairro Árabe, Sacromonte, Banho Árabe, ruínas por toda a parte, casa de Lorca, museus e muitos bares!
Ah, em Granada tem uma peculiaridade: a cada bebida consumida, a tapa é de graça!
Hospedagem tem para todos os gostos: eu gosto de ficar mais próxima de Albaicin e Sacromonte, pois a noite na Plaza Nueva e no mercado árabe é muito cult, animada e me permite mobilidade com segurança. Granada é uma cidade que não me assusta sair “a noite sozinha!
O flamenco de Granada nasceu nas cuevas de Sacromonte e a maior parte por famílias ciganas.
Lá tem a escola Carmen de las Cuevas que oferece um modelo de estudo e/ou flamenco bem interessante: as pessoas podem ir estudar flamenco, e/ou espanhol. A escola é muito acolhedora e bem informativa para quem quer ir pela primeira vez. Além de oferecer os cursos de verão e inverno, pode oferecer também cursos de maior período, espanhol com certificação DELE e alojamentos.
Sacromonte é onde tem a maior concentração de cuevas com programação de shows flamencos à noite. A Cueva la Rocio, umas das primeiras Zambras Gitanas. No verão, o museu aberto de Sacromonte também tem programação de shows a preços mais acessíveis com artistas locais. Imaginem um show ao ar livre, música ao vivo, tablado e gitanos????   Nos arredores da cidade, perto da Plaza Nueva, muitos lugares para ver flamenco. Estar em Granada é ver flamenco na rua e respirar a liberdade.


Jerez de La Frontera
Jerez da Fronteira fica na província de Cádiz. Nessa região é aonde se produz o famoso vinho de “xerez” e a cidade é muito famosa pela cultura flamenca. O nome “frontera” vem da época que a cidade estava localizada entre a fronteira das regiões dominadas pelos mouros (Reino nasrida de Granada) e da dominada pelos cristãos (Coroa de Castela).
A cidade tem origem nos povos fenícios e, posteriormente, árabes muçulmanos, o que nos mostra uma rica arquitetura. Além dos bairros ciganos Santiago e São Miguel, de onde surgiram os grandes artistas flamencos, você tem a opção de conhecer as bodegas de Jerez (famoso Tio Pepe e Xerez) e os cavalos andaluzes. De Jerez é possível conhecer Cadiz, Sevilha, Marrocos, Pueblos Blancos, Ronda, etc.
Em Jerez, o banho árabe é obrigatório e um presente dos deuses. 


Bem, só um resumo do pouco que você pode desfrutar numa viagem solo para Espanha e para quem tá pensando em começar: não tem erro, a Espanha é uma grande escolha. Você consegue se ver caminhando pelas ruas das cidades da Espanha?









Adquira aqui seu e-book
Então mais uma dica: ainda não sabe por onde começar? Eu escrevi um e-book com todas as etapas de um planejamento para a 1ª. Viagem solo. Ele está aqui, para você sair do imaginário e voar....







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book