sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

MADRID - A cidade que nunca dorme!


Estive em Madrid 04 vezes. Impossível fazer um roteiro completo para quem vai a 1ª.  2ª.  ou 3ª. vez.....o tempo será sempre pouco. De Madrid é possível sair de trem e explorar a Espanha e outros locais da Europa. Madrid tem uma energia que consome: é uma cidade “ligada” em 300volts...ferve...chamada de “la Movida”, reúne pessoas de todos os gostos: boêmios, intelectuais, urbanos, consumistas, jovens, maduros e, claro, flamenco com sofisticação. A cidade é um exagero e uma das mais agitadas capitais da Europa, vibrante, dinâmica, moderna sem deixar de preservar seu patrimônio histórico e cultural. Foi fundada pelos árabes como uma fortaleza e em 1561 foi transformada em capital da corte por Felipe II.
Aproveitando minhas boas recordações, fiz um roteiro simples para quem está “debutando” na cidade. Essa sugestão pode ser entre 4 a 7  dias de permanência na cidade. Claro que não estou mostrando nem 1/3 do que Madrid oferece, mas por ser uma cidade intensa, é melhor conhecê-la com algum planejamento. Tudo pode ser feito de metrô ou a pé. Depende de sua disposição e do roteiro do dia. 

O estilo de vida conhecido como “La Movida”, apareceu a partir de um “movimento etílico-cultural”, ou seja, os madrilenos propagaram a noite de Madrid para o mundo como a mais animada e boemia da Europa. Tive a chance de vivenciar isso....perambular pelas ruas entre “tapas e tragos”, a terminar a noite com chocolate e churros.  Na maioria das vezes estive sozinha, por isso optei em hospedar-me em locais bem centrais que me permitiam caminhar pela cidade e acessar tudo com muita segurança. Recomendo o Hotel Carlos V pertinho da Puerta de Sol. Para quem quer fazer compras também é uma excelente opção porque permite “ir e vir” várias vezes ao dia e não ficar carregando o peso das compras.

Vamos às sugestões bem básicas....

Dedique uma manhã para o “Prado”. Ou seja, não tem como ir à Madrid e não conhecer ou revisitá-lo. Um banho de arte e história. O Museu do Prado  tem maravilhas como "As Meninas" de Velásquez, El Greco, Goya , etc....Dedique uma manhã inteira porque é encantador...Uma aula de história dada a concentração de obras de arte num mesmo ambiente. É uma das maiores pinacotecas do mundo, com mais de 9.000 obras. Aproveite também para caminhar no Paseo Del Prado, ao lado do Museu e Jardim Botânico. Caminhar pelas sombras das árvores muito antigas e apreciar os jardins...é a cara de Madrid e de uma sofisticação simples e marcante. Perto daqui encontra-se, a Fonte de Cibeles, toda em mármore, que representa a deusa Cibele (símbolo da Terra, agricultura e fecundidade). É aqui que a torcida do Real Madrid comemora suas vitórias. 
Reserve uma manhã também para conhecer o Museu Reina Sofia. Especial porque abriga muita coisa da arte espanhola do século XX e arte contemporânea. Ter a chance de “ver” e ficar “chocado” com a Guernica, de Picasso, além de viajar no mundo de Salvador Dali  e Miró . São experiências que mexem com a cabeça mesmo. Aproveite uma manhã (ou tarde) também para conhecer o Parque de  el  Retiro, onde os madrilenhos vão nos fins de semana para passear. Tem sempre alguma coisa acontecendo. Não deixe de visitar o Palácio de Cristal que fica no parque, todo em vidro, cercado por um lago, construído em 1887. Para o Palácio Real e adjacências, recomendo um dia inteiro porque vale a pena e cansa muiiittttoooo. O Palácio Real  foi uma fortaleza no século IX no reino muçulmano, depois um Alcázar (destruído num incêndio por volta de 1700) e finalmente conhecido por ser a residência oficial do Rei de Espanha (mas o rei Juan Carlos não vive lá!), tem museu com obras de Caravaggio (Salomé com a cabeça de João Batista), Velázquez e Goya. Caminhe pelas cercanias e encontre ali pertinho o Campo do Mouro e a Praça do Oriente onde ficam as esculturas dos reis espanhóis. Contornando, descubra a Catedral de Almudena, foi construída onde era uma antiga muralha árabe e onde fica o túmulo de San Isidro, padroeiro de Madrid e a imagem da N. Sra. de la Almudena em madeira prata. Em frente ao Palácio Real, fica o Teatro Real que merece a visita guiada. E depois de tanto andar...perto do Teatro, tem que parar para experimentar tapas no 100 Montaditos. São 100 tipos de tapas que podem acompanhar cerveja e vinho (no verão eu peço tinto de verano, um tipo de sangria que acompanha bem todas as tapas...e no inverno, um Rioja...). 


Pausa para as compras, porque ninguém é de ferro né?

Pausa para as compras, porque ninguém é de ferro né?
Um “aparte” importante sobre compras na Espanha: claro que não é mais barato que nos EUA. E ainda os preços estão em EUROS. Mas, se você não tem previsão de ir às compras nos EUA, vai encontrar produtos muito mais em conta que os preços praticados no Brasil. O que eu recomendo, nesse caso é descobrir as lojas da “terrinha” e deixar as marcas americanas de lado. Algumas lojas são populares lá e de grande referência aqui. Eis as minhas preferidas: Bershka , do grupo Zara e preços bem em conta. Roupas transadas e modernas. Lefties, a ponta-de-estoque da Zara, que é a maior bagunça e cheia de pechinchas preciosas. Zara ...e Mango....precisa falar? H&M, tem várias em Madrid e de uma elegância europeia a preços fabulosos. El Corte Inglês, a mais tradicional loja de departamentos da Espanha. Tem de tudo. Tem ainda o desconto para turista. A dica é procurar setor de informações para preencher o cartão de desconto, além do TAXFREE. Vale a pena garimpar aqui.  Sephora, a mais tradicional loja de produtos de maquiagens. Outra coisa que tenho por costume é comprar as revistas de moda na Espanha que trazem as principais tendências que somente chegarão aqui no Brasil quase 1 ano depois. Nas farmácias, compro indiscriminadamente água termal D’Avene...meu vício. Ok, então...depois desses pequenos segredos compartilhados, vamos às compras. Reserve um ou 2 dias para as compras (que podem ser poucos viu?) e não os misture com passeios culturais, pois um deles pode ficar comprometido. A Puerta  del  Sol é a central de Madri e point agitadíssimo.  É fácil localizá-la, pois lá se encontra o símbolo da cidade (a estátua de bronze do Urso) e no meio da praça, estátua de D. Carlos III. Também fica aqui pertinho o Hotel Carlos V. Tudo que for preciso ou desejado de comprar, tem aqui, ao redor da praça e nas ruas que dão acesso a ela. É aqui que ficam as melhores lojas das marcas espanholas. Depois que você enlouqueceu nas lojas, recomendo parar na Casa Labra e conheça o mais barato e mais gostoso bolinho de bacalhau do mundo...coisa de doido....ou então caminhe até chegar à Plaza Sant’anna para comer e descansar num dos cafés elegantes e animados. A GranVia  também é uma grata opção, pois tem um comércio fabuloso. Começa na Calle de Alcalá e termina na Plaza de España. Pela GranVia a gente sente a intensidade de Madrid, pois além do comércio, é aqui que ficam os cinemas e teatros.  Um pedacinho da Broadway. E na Plaza de España, onde fica a famosa estátua de homenagem ao escritor espanhol Cervantes, tem uma feira de artesanato no final da tarde. Sugiro que, depois de caminhar pela GranVia e fazer comprar, reserve o final da tarde para conhecer a Plaza de España e depois vá ao show de flamenco mais tradicional da cidade (na minha opinião, claro!)...tem que ligar para marca, pois o local é pequeno e vive lotado..Las Tablas...  ao lado da Plaza de España.


Para as noites...prepare-se para um tour de tapas...coisa de Madrid..coisa de Madrileño...
Sabe esse costume de brasileiro de ir a um bar, sentar e esperar ser atendido pelo garçom? E ficar a noite inteira sentado num mesmo local? Esqueça!!!! Na Espanha as pessoas ficam de bar em bar....não sentam....ficam em pé, bebem, beliscam conversam e seguem para o próximo bar....Comece na Plaza  Mayor, um local de bares e lojas de artesanatos, mas que já foi o centro dos acontecimentos, desde canonizações a execuções públicas e  corridas de touros. Esta praça sobreviveu a três incêndios, é linda, toda fechada, ponto de encontro, e um lugar que dá acesso a várias ruelas onde descobrimos cada lugarzinho...aqui tem restaurantes e até dá para sentar e ficar um tempinho, antes de começar a peregrinação da noite....É aqui que ficam as lojas de artesanatos tradicionais da Espanha. Siga o fluxo e encontre o Mercado de San Miguel

Certamente estará lotado, mas é assim mesmo. Fique um tempinho bebericando cavas, manzanillas, sangria, cerveja.... e experimente tapas de frutos do mar. Bem animado é lindo e o máximo para sentir como vivem bem os madrileños!!.  Hora de caminhar....siga o fluxo e conheça o Bairro La Latina...para todos os lados, bares, bares e mais bares...lotados...continue e siga em direção da Puerta Del Sol...perca-se em Madrid...mas tenha em mãos um bom mapa para saber por onde você está se perdendo..chegue até a Praça Sant’anna e aproveite para sentar um pouco de beber mais alguma coisa..... E para finalizar a noite....Chocolateria San Gines  , fundada em 1890. O local parece sair de um filme antigo da época romântica....e geralmente está lotado de madrugada porque comer churros de madrugada é uma mania madrilenha.

Toledo

Outra coisa bem interessante é conhecer a cidade de Toledo! Que no passado foi próspera e sob o reinado árabe (século VIII). Era conhecida, pela tolerância religiosa e tinha grandes comunidades judaicas e muçulmanas. No século IX foi conquistada por Afonso VI. A cidade ficou conhecida pela produção de espadas, facas e ainda hoje pode-se adquirir esse tipo de artesanato nas lojas locais. A cidade foi local de residência de El Greco no final de sua vida. É um passeio diferente e que remete a história que tanto falei nos posts de Andaluzia. É possível ir de ônibus de Madrid até Toledo, uma viagem que dura cerca de 75 minutos. É barato e seguro!


É isso, uma amostra do que fazer em Madrid em poucos dias! Como estive lá mais de uma vez, tive a chance de relembrar cada passagem e me encher de gratidão por todas as vezes que decidi sair do meu mundo e voar bem alto.....A cidade de Madrid instiga a ser um anônimo na multidão e a pensar em “chutar o balde” e deixar-se levar pela “La Movida”....e esse sentimento é muito bom!

2 comentários:

  1. Último post do ano de 2012, exatamente no dia do fim do mundo, erroneamente dito, como profetizado pelos Maias. Civilização essa que, exceto raros descendentes ainda vivos, é conhecida por ter sido dizimada pelos espanhóis. Alguns provavelmente oriundos de Madrid, ou seja madrileños. O que me lembra o mais famoso pão doce do Rio de Janeiro, vendido na Confeitaria Manon, na Rua do Ouvidor/RJ, inaugurada em 1942: os madrilhenhos ou madrilhenhas. Massa levíssima, um creme de matar qualquer cristão, judeu, islamita, hinduista, zem budista, muçulmano; com uma pontinha de goiabada...

    Finalizando: próximo roteiro, Guatemala!!! rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Prima...quanta poesia e realidade...sim..a Espanha tem uma história dura de exploração e colonização...assim como todos os países da Europa e do Oriente...o mundo já foi dominado por impérios diversos...e hoje nem é tão diferente né? Evoluímos porque sucumbimos à colonização (agora da Internet, EUA, etc)...mas se enfrentássemos,certamente seríamos dizimados pelos mais fortes...hummm...gostei da sua sugestão..Guatemala...tô pensando viu?

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book