quarta-feira, 30 de maio de 2012

ITÁLIA PARTE 3 - ROMA

FINALMENTE ROMA, A CIDADE ETERNA!


Nesta viagem, tive pequenas doses de Roma. Precisaria de muito mais tempo para conhecê-la, mas em alguns dias, é possível se encantar e descobrir a força desse Império.
Roma é para ser visitada muitas vezes na vida. É grandiosa em tudo, na arte, na arquitetura e nas lembranças das atrocidades cometidas durante o seu império. Visitar Roma depois da Turquia pode ser um choque.  Na Turquia, a história do cristianismo, encravada nos monumentos e cidades, é de uma simplicidade que chega a ser uma agressão aos olhos. Em Roma, a mesma história está encravada com muita riqueza e ouro.  A beleza entre os dois só pode ser percebida com imparcialidade religiosa a pela simples ambição pessoal de conhecer a história de perto.
Sabe-se que o Império Romano converteu-se ao Cristianismo num momento de crise política, pois Roma era pagã. Na época havia dois governos: do Oriente, onde a capital era Constantinopla (atual Istambul) e do Ocidente, onde a capital era Roma. Em Roma, o líder que  abraçado pela fé da Igreja foi Pedro e no Oriente, Paulo de Tarso é reconhecido como o grande mensageiro do Cristianismo, porém ambos foram os pilares da Igreja Católica. O Império Romano do Ocidente tinha uma vasta variedade de culturas que foram assimiladas indistintamente pelos romanos, enquanto que o Império Romano do Oriente (basicamente grego) era unificado culturalmente desde as conquistas de “Alexandre, o Grande”. Os Impérios do Oriente e Ocidente tinham a mesma filosofia, porém muitas diferenças culturais, religiosas e de língua.  E isso foi o divisor entre eles no que diz respeito à sobrevivência.

Roma Antiga: Palatino – do Foro Romano ao Coliseu
Roma foi fundada em 753 AC sobre uma das 7 colinas onde hoje é conhecido como Palatino. Aqui foi construído o Fórum Romano (principal centro comercial da Roma Imperial) e o Circo Máximo (uma arena antiga e de entretenimento).  O local é um museu ao ar livre. É nesta colina que também estão as ruínas dos palácios de César Augusto, Tibério e Domiciano.

 


Coliseu, também é conhecido como Anfiteatro Flaviano, tem o seu nome associado à expressão latina Colosseum, devido à estátua do imperador romano Nero que havia no local. Localizado no centro de Roma, já foi capaz de abrigar cerca de 50 000 pessoas. Era utilizado para entretenimento, habitação, oficina, enfim...hoje é reconhecido pela Igreja Católica como um templo sagrado. Esta ruína é o símbolo do Império Romano.
Para conhecer essa parte de Roma Antiga, dediquei um dia inteiro, pois o percurso é todo feito a pé, começando do Palatino e finalizando no Coliseu. Sugiro ter um guia em mãos para percorrer o Palatino e alugar o áudio guia no Coliseu.

Fontana de Trevi
Parada obrigatória de quem vai a Roma. Cenário da grande cena imortalizada do filme “La Dolce Vita” de Federico Fellini, quando a Anita Ekberg entra na água e convida Marcello Mastroianni a fazer o mesmo.
A fonte foi construída num cruzamento de três estradas (tre vie), daí o nome. Durante o dia e à noite, o local fica lotado de turistas, quase que impossível tirar fotos exclusivas sem nenhum transeunte. Ao redor da praça da fonte, vários cafés e uma feira de apetrechos turísticos para satisfazer todos os gostos.
A lenda diz que, ao chegar na fonte, joga-se 02 moedas para trás: uma por um desejo e outra para voltar.

Trastevere
Depois de um dia cheio de história sobre o Império Romano, conhecer Trastevere foi como entrar num outro mundo ou num filme dos anos 50. Considerado um bairro judeu, tem exatamente a visão do que idealizamos sobre os italianos: ruas estreitas, roupas penduradas nas janelas, pessoas nas ruas conversando, bares e restaurantes típicos. Uma agitação só.  A pérola foi conhecer o “Museo di Roma”, que fica na Praça Santo Egidio e na época havia uma exposição do Cinema Italiano. Mais uma surpresa que só se descobre “caminhando”.


Roma é assim. Impossível descrever tudo se vê. Seguindo sem rumo pela Via Del Corso, em cada esquina encontramos uma referencia histórica ou um monumento. Por isso que toda a cidade deve ser explorada a pé.

Vaticano
Utilizei um dia inteiro para conhecer a cidade do Vaticano e fiquei 7 horas lá dentro. Recomendo como visita obrigatória para quem vai a 1ª. vez em Roma. Eu, como sou uma curiosa pela história das religiões, não poderia deixar de conhecer de perto a hegemonia de Pedro.  Depois da crucificação de Jesus, está registrado no livro bíblico de “Atos dos Apóstolos” que Simão Pedro assumiu a liderança entre os seguidores de Jesus e foi de grande importância na fundação da Igreja Cristã. O nome Pedro "Petrus" em latim e "Petros", em grego, significa "pedra" ou "rocha" em grego. Pedro viajou para Roma com o propósito de evangelizar e foi executado no ano 64 DC, durante o reinado do imperador romano Nero. Foi crucificado de cabeça para baixo à seu próprio pedido, perto do Obelisco no Circo de Nero, onde hoje está a Praça São Pedro.
A Cidade do Vaticano é um estado eclesiástico ou sacerdotal-monárquico, território soberano da Santa Sé, governado pelo Papa e local de sua residência.  
Sob o altar da basílica está enterrado São Pedro, considerado como o primeiro Papa, iniciando a linha da sucessão papal. Aqui também, está a famosa Pietá de Michelângelo. Vale a pena admirar essa obra pela singularidade de verificar a perfeição da dor de Maria, bem como a força de vê-la amparando o filho e pelo seu rosto retratado pelo artista, tão mais jovem que o rosto do próprio Cristo em seu colo.

 A Itália é um oceano de arte, cultura e inovação que reinou em todos os momentos da história. Para conhecer Florença e Roma, recomendo a leitura do livro “Segredos da Capela Sistina", sobre Michelangelo, uma personalidade determinante para o Renascimento e a arte Fiorentina e Romana. Várias de suas criações estão entre as mais importantes da história , tais como a escultura do Baco, a Pietá, o David, as duas tumbas Médici e o Moisés, além da famosa pintura teto da Capela Sistina e o Juízo Final, ambos no Vaticano.

ü  Recomendo pelo menos 2 ou 3 dias para Florença, um pernoite em Verona. Roma no mínimo 3 dias.

ü  O italiano fala alto e gesticula muito. Para nós, pode ser interpretado como uma grosseria, mas não é!

ü  Se entregue à gastronomia local sem receio. As pizzas, massas, vinhos e sorvetes fazem parte da experiência de estar na Itália. Esqueça regime!

ü  A pizza de lá é muito diferente daqui. Ajuste o paladar e não compare.

ü  Escolha hotéis mais próximos dos centros históricos ou comerciais.

ü  Muito comum ver pessoas (mulheres) viajando sozinhas pela Itália.

ü  Boas compras: CD de musica veneziana em Veneza, gravuras em Florença e Verona, Livros sobre os artistas renascentistas, cosméticos em Roma (KIKO), lembranças católicas em Assis e Vaticano e coisinhas de mulher nas lojas locais de Milão e Roma.

ü  Se for somente para Roma, não precisa de excursão. Apenas um bom mapa e muita disposição.



Veja a sequência desta viagem nos posts: Itália 1 / Itália 2

2 comentários:

  1. Roma é..., Roma. muito bom seus posts sobre a Itália. Simples e ao mesmo tempo, detalhado. Parabéns, seu blog tá indo "de vento em popa". Falando nisso..., vamos ter um post sobre um cruzeiro marítimo???? :) E o livro, eu quero ler...

    ResponderExcluir
  2. rsrsrsr...ainda não fiz Cruzeiro...:(
    Qual livro ?Segredos da Capela Sistina? TEnho aqui!!!!!

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book