quinta-feira, 20 de julho de 2017

Pelos caminhos de Brasília, ao estilo JK!


ComSalto&Asas gosta mesmo de vivenciar momentos intensos e recomendar essas experiências, destacando o que se tem de melhor em qualquer lugar. Em Brasília não seria diferente. Esse lugar é mágico, acolhedor, livre e cheio de gente bacana que olha “prá frente”! Uma cidade com o pé no futuro e outro no passado, cujo presente é de anseios e esperanças. É desbravador caminhar pela cidade rememorando uma breve e impactante história que alguns dizem ter sido um surto psicótico e outros dizem ser a realização de um sonho de um homem, cuja vida foi rodeada de mistérios, histórias, determinação: JK!
Dizem que o olhar dele passeava pela cidade antes mesmo de começar a ser levantada. Dizem que ele tem reencarnações egípcias. Alguns falam dele com saudosismo e outros com coragem. Mas, quem foi JK?

JK, o homem e o sonho

Juscelino Kubitschek tinha convicção que a nova Capital era uma realidade. Em seus discursos ele tinha o dom da oratória e do convencimento que transportava pessoas para muito além da simples realidade, mostrando a cidade que ainda não existia. Me pergunto se essa habilidade de transformar o imaginário tem uma influência de sua origem, pois dizem que JK era descendente de ciganos. Seu bisavô materno (tcheco cigano) desembarcou no Brasil em 1830. E os ciganos passaram pela história como um povo artístico, criativo, livre e sempre inovando e mesclando culturas. Então quando eu vejo em Brasília uma mescla de culturas, um grande acampamento e um sonho, penso que JK tinha muito dos ciganos. Tinha porte altivo e um olhar penetrante de quem sabe para onde está indo, sempre olhando “prá frente”.
Caminhando pelo sonho a gente encontra um pedacinho dele em cada lugar, numa cidade controversa que, mal saindo da puberdade, assume ares de maturidade precocemente.

O Planalto e a deserto – a esperança
Hoje, o que lembramos com nostalgia e orgulho, foi cenário de muitas lágrimas, saudades e esperanças. Quem veio para cá na época da construção deixou um passado bem longe e rompeu com sua história, mas personificou suas lembranças numa nova cultura reconstruindo uma nova vida. A beleza enaltecida do nosso cerrado, as peculiaridades do clima, a terra que parecia suja (de tão vermelha), tornaram-se nossa marca registrada. Nosso sotaque tem de tudo. Hoje, de um cerrado hostil, nasceu e cresceu uma cidade que oferece muito mais pelo qual foi concebida.

E os Candangos....
De onde vem essa menção? Pode ser de origem do Nordeste, para se referir um grupo de pessoas de categoria social mais modesta, porém, aqui em Brasília, essa palavra era associada às pessoas que estavam diretamente envolvidos com a construção da cidade, homens que se lançaram ao quase impossível sonho de JK, independente de classe social. Simboliza nosso pioneiro, desbravador, o homem de coragem e ousadia construtor da nova capital.  E foi gente de tudo que é lado desse país. Veio gente de tudo que é jeito. E nesse grande acampamento de sonhos, os candangos deram a personalidade mesclada de Brasília.

O Planalto, os Candangos, o estilo JK:  a bordo de um Galaxie Landau
Imaginem-se entrar nesse sonho de JK com todo glamour e estilo de uma época (anos 60/70), a nostalgia e memórias de revoluções sociais e culturais.  Imaginem-se serem conduzidos por um brasilense “bem brasiliense” contando cada detalhe e curiosidade da história e de seus caminhos e ainda a bordo do mais elegante carro que foi a “vedete” dessa época?  Sim, juntando Juan Luis Hermida e o Landau do Dílson para você conhecer e percorrer a cidade como nosso JK fazia, ao seu estilo.
Juan Luis Hermida, nosso brasiliense nato porque escolheu de coração aqui viver! Uruguaio, radicado na cidade há 20 anos, é guia certificado de turismo regional, nacional e da América do Sul, e também um grande jornalista. Conhecedor dos locais mais interessantes para se visitar em Brasília, sabe cada pedacinho e detalhes da arquitetura e da história da capital. E o Galaxie Landau tem uma relação muito afetiva com Brasília e com a história do Brasil. Fabricado em 1967, tornou-se o queridinho das autoridades políticas e homens de negócios. JK saía pela cidade a bordo do seu Galaxie Landau. E você pode sair de Landau é tornar-se um personagem dos anos 70, cujos olhos passeiam por um sonho. A história que você vai conhecer, será única, pois deslizar pelas ruas de Brasília é uma experiência guardada no tempo e que deve ser desfrutada com todos os sentidos.
Eu, que vim para cá ainda no começo da história de Brasília, vi transformações que superaram ao planejamento original. Vi uma sociedade nascer e uma cultura de culturas se espalhar por todos os lados. Quem me dera ter tido a felicidade de conhecer JK e viajar no se sonho.
E como programar-se para essa viagem aos anos 70, pelos caminhos de Brasília, ao estilo JK?

O Visite Brasília oferece esse serviço único, acesse www.visitebrasilia.com.br  
Para agendar seu roteiro
Square:
SHN Quadra 5 Bloco D Hotel Athos Bulcão,
Telefone: (61) 3241-3623  ou pelo mail estilojk@visitebrasilia.com.br

Um comentário:

  1. É um roteiro fantástico para conhecer... Cheguei aqui em 1957 e vi esta cidade nascer e crescer... Por isto produzir o maior mural que conta a história desta cidade no CONIC, um local mágico... Parabéns por esta iniciativa turística...

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book