quinta-feira, 23 de agosto de 2012

MARROCOS PARTE I – Sozinha e muito bem acompanhada....

O roteiro, programado pela Dayse - minha agente de viagem (New Age), foi uma descoberta sob medida...um tour para o Marrocos saindo de Málaga, cruzando o Gibraltar de Ferry Boat, como descrevi no post de Málaga.
Eu estava sozinha e a Dayse me recomendou um grupo fechado. O local, além de ser uma monarquia com regras bem rígidas, é um país islâmico e muito diferente para nós ocidentais. Além disso, com grupo fechado eu desfrutei dos passeios com guia em espanhol, uma riqueza de detalhes impressionante e gratificante, além de ter feito mais 13 amigos espalhados pelo mundo. Fui sozinha, mas não tive um dia de solidão.
A ansiedade....o medo....e a expectativa
“Eram 06 da manhã, e o dia nem tinha nascido...dentro do micro-ônibus que nos levaria ao porto, o sol chegava e eu pensava como seria passar para o lado de lá...o lado que sempre falamos e nunca vimos...o lado que sempre aparece na História do mundo....o lado sofrido...o lado explorado...o lado que acolheu culturas e o lado que preservou a fé na época das perseguições religiosas...o lado que escolheu, o lado que foi excluído, o lado que choca e que dá medo...”

E não parava de pensar...como seria estar do lado de lá? Foi assim que segui para o Marrocos...   
Chegamos em Algeciras, Porto de Tarifa, para embarque no Ferry Boat e travessia do Gilbraltar.  Essa travessia é tensa e confusa. O guia nos acompanha até a porta do embarque com os tíquetes. Depois só teremos outro guia “após” o desembarque. Ou seja, todo o tramite de descer com a bagagem, guardá-la, liberação do passaporte para entrada no país, enfim....tudo é feito dentro do barco e com um atendimento lamentável. A bagagem é acondicionada no térreo da embarcação, sem nenhuma identificação, junto com as cargas e os carros. Apesar disso, tudo me pareceu bem seguro. A abordagem dos carregadores de bagagem para facilitar o acesso e a saída do porto é um incomodo necessário. E os "pedintes de dinheiro" é uma constante. Sobrevivemos à travessia e os 13 companheiros de viagem estavam muito assustados com essa 1ª. experiência. Mas essa era a “deixa” que precisávamos para entender uma cultura tão distinta e autêntica.
Gibraltar, território britânico, cujo nome (árabe) significa "montanha do Tarique", foi em homenagem ao general muçulmano Tariq ibn Ziyad que no ano de 711 DC iniciou a conquista na região do reino visigótico. O Estreito de Gibraltar é uma separação entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico e entre dois continentes - Europa e África. É nesse estreito que a gente vê a história como ela é: Europa e África se misturam...vários povos se mesclaram.....uma infinidade de culturas convivem pacificamente (ou não!), um mesmo pedaço de terra é compartilhado desde muito tempo. Ao desembarcar, já do lado da África, a sensação era o peso da história, como se existissem vários povos vivendo num tempo quântico. Além do que visualizamos, tive a sensação de que outros mundos estão ali. O ar é denso, o espaço parece apertado e a visão não acompanha tanto movimento. Entrei na África com a certeza de estar pisando num solo “sagrado” e com a energia de gerações de povos milenares.


MARROCOS – Um pedaço da África, no berço das nações...
Todos os sentidos se intensificam no Marrocos: a visão com as cores fortes das vestimentas, o tato pela textura das construções árabes, o paladar pela gastronomia picante em contra ponto à leveza do “té de menta”, o olfato pelos cheiros de especiarias e temperos e a audição pela língua francesa e árabe, que parecem musica. Em 1900 foi protetorado francês (daí ter como língua oficial o francês, além do árabe) e em 1956 conquistou a independência. A monarquia começa em 1957, com Mohammed V, da dinastia alauíta, considerado descendente de Maomé. Foi sucedido por Mulay Hassan, seu filho, que se tornou um rei muito querido por ter liderado a Marcha Verde de reconquista do Saara dos Espanhóis em 1974. Hoje, o rei é o filho de Hassan, Mohammed VI que trouxe um ar mais moderno para a cidade e tem muito interesse em desenvolver o turismo e industria cinematográfica. Curiosidades sobre o mundo árabe islâmico:
  • Estão no ano 1.436 DC porque seguem o calendário da mudança de Maomé (622 DC) e também o calendário Lunar cuja medida são de 29 e 30 dias.
  • Apesar de ser maioria muçulmana, reconhecem o judaísmo e o cristianismo como religiões.
  • A gastronomia é forte e rica: tajines (cozidos), cuscuz, muitos frutos secos. O chá de menta é como se fosse “nosso cafezinho”. Nada de bebida alcoólica à vista!
  • As mulheres não frequentam cafés e bares (desacompanhadas principalmente) e recomendo não olhar diretamente nos olhos dos marroquinos....muito complicado... 
  • A Medina é parte mais antiga da cidade, cercada por muralhas. É onde tudo acontece. As Medinas têm os Souk’s que são mercados com lojas de rua, verdadeiros labirintos. Sempre existe uma Mesquita, um Hamman (para a pureza física, local de fazer abluções antes de orar), Medersas – escolas corânicas, padaria publica e fonte de água potável.
Uma descoberta à parte....Piratas e Corsários
As estórias de piratas sempre foram para mim, pura ficção. No Marrocos descobri que eles fazem parte de sua história real, existiram e com um propósito nobre (para a época, claro!). Desde o período da queda do império Romano eles atuavam no Mediterrâneo, porém, na época da expulsão dos muçulmanos e judeus pelos reis católicos, muitos migraram para essa região, vindos de Andaluzia. Alguns mais revoltados decidiram se vingar dos cristãos, tornando-se piratas e praticando saques e roubos a navios espanhóis e cristãos. A causa era a vingança pautada pelo conflito religioso em que atacavam embarcações cristãs. Por isso passaram a ser vistos como Corsários, agindo em prol de uma diferença religiosa.

Inshallah (se Deus quiser) seus olhos consigam aqui capturar uma pequena parte do MARROCOS que nos abraça com suas cores, seus souks, seus sons e sua história......





MARROCOS - TANGER...A cidade internacional...
Local de desembarque do Ferry Boat.  No passado foi de grande importância e com forte presença da história europeia, pois recebia com frequência povos da Europa que fugiam da Guerra. Uma cidade internacional cuja zona era neutra. Uma boa maneira de entender a cidade é o livro Entre Costuras da Maria Dueñas, cuja história é um romance com pano de fundo a Guerra Civil e que se passa em TANGER. 
Conheci, uma cidade estilosa, moderna e cheia de glamour, que serviu de fonte de inspiração para vários autores, principalmente na década de 50, como por exemplo, Paul Bowles autor do célebre livro "O Céu que nos protege"

MARROCOS – RABAT... A capital...
A capital é bem organizada. Essa foi a visão que tive. Ficamos no Rabat ChellahHotel
Iniciamos nossa visita pelo Palácio Real, construído em 1864 e é a residência oficial, embora o rei não resida permanentemente no local. Não se pode fotografar diretamente os guardas do rei, sob o risco de ter sua maquina confiscada. Todos os edifícios estão cobertos de telhas verdes, um material reservado para realeza e edifícios religiosos muçulmanos. Seguimos para a Torre Hassan, a mesquita construída por Yacoub El Mansour (sultão almóada que transferiu a capital para Rabat e era da dinastia saadiana). Ficou inacabada com a sua morte. A Mesquita “incompleta” é vista pelas colunas ao fundo da foto. O que deveria ser uma Mesquita, parece um jardim de grossas colunas. Neste local, Mohamed V construiu seu mausoléu e de seus filhos. Todos estão enterrados aqui.   
 










A Fortaleza/Kasbash dos Oudaias, construída final sec. XII por Yacoub El Mansour tem característica de uma fortaleza (casbá) medieval e o ocre, o vermelho-terra
predomina. As curvas dos portais e a textura mostram o contraste da delicadeza e rusticidade. Aqui parece que fui transportada para outro tempo. Kasbash dos Oudaias foi o local que marcou em RABAT a minha memória. 

MARROCOS – CASABLANCA... Play it, Sam...
“Um dos momentos mais emocionantes do filme acontece quando pede para ele tocar a música que ouviram juntos em Paris"
Construída pelos franceses, é uma cidade portuária, cujo nome é literalmente sobre a primeira casa construída, depois do terremoto de 1755, branca, para servir como ponto de referência aos viajantes que chegavam.

Ficou conhecida pelo filme CASABLANCA cenário do romance de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman durante a Segunda Guerra Mundial. Qual foi minha decepção porque nenhuma cena do filme foi feita em CASABLANCA e a cidade que inspirou a temática do filme foi TANGER. Mas alguém decidiu construir um café “Ricks Café” fazendo uma alusão especial de que CASABLANCA sempre será do filme. 
Depois dessa pequena frustração, seguimos para a Mesquita de Hassan II – A 3ª. terceira maior do mundo, construída sobre águas. Os fieis se ajoelham sobre um piso de vidro que revela o oceano. Comporta 80 mil pessoas. A sala de ablução é um capítulo à parte de tanta beleza. Apesar de ser uma construção Moderna (inaugurada em 1993), os artesãos marroquinos preservaram a estética tradicional e trabalharam com mármore, granito, madeira, mosaicos e estuque.  











É um símbolo de poder e devoção de uma religião tão antiga e polêmica, num mundo tão moderno. 
Então...conhecer essas cidades gradativamente foram fundamentais para me adaptar com a cultura e história e, ao chegar em Marrakech, poder entender a suntuosidade do Marrocos.....e a viagem segue...cheia de surpresas....


3 comentários:

  1. Boa a informação de que não só no Brasil as coisas não são bem como imaginamos, na área turística. a diferença é que aqui não nos sentimos inseguros, mas com raiva. No roteiro guiado, que fiz no Morro da Conceição/RJ, tem muita referência aos corsários e tesouros nossos levados para Europa. E queridinha, você definitivamente pisou o mesmo solo que Rick, Ilsa e mesmo o Sam. Afinal vocês esteve em Casablanca, onde se passa o filme, certo, rsrsrs????

    ResponderExcluir
  2. "Grande artigo e óptimo blog! Deixe aproveitar este seu espaço de comentários para apresentar Viagens em Marrocos.
    Somos uma equipa de especialistas em turismo por todo Marrocos. Planeamos viagens de sonho em Marrocos, passando por deserto, cidades, montanhas e oásis de uma beleza incrível.
    O nosso site é http://www.viagens-em-marrocos.com, e aí pode ver mais detalhes e ideias.
    Se estás a pensar em Marrocos, vem experimentar um dos nossos veículos 4x4 e conhecer os segredos mais escondidos.
    Obrigado.
    Omar"

    ResponderExcluir
  3. Omar,
    Obrigado pela visita e certamente irei recomendá-los!!!
    beiji

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book