terça-feira, 4 de setembro de 2018

MUDANÇA DE HÁBITO 1 - Como ter dinheiro para viajar?


Como é possível ter dinheiro para viajar, se está quase impossível manter-se no dia-a-dia com os rendimentos (seja de qualquer modelo de trabalho)?

Muitas pessoas me perguntam sobre isso!
Decidi abordar, sem nenhuma pretensão de convencer ninguém, sobre as mudanças que provoquei em mim mesma em alguns hábitos de consumo para conseguir manter minhas programações de viagens.

Uma coisa é certa: se eu ainda tivesse hoje o mesmo padrão de consumo que eu tinha até 2010, certamente eu estaria “falida” e sem nenhuma expectativa de viajar.
Vou conta minha experiência...

Sou da geração que desfrutou muito das oportunidades da estabilização econômica dos anos 90. Foi uma época de “ter”: carro novo, casa própria, bens materiais, ou seja, tudo que demonstrava um status social que estava inserido (ou pretendido). Naquela época, tudo era alto consumo. Claro que tive momentos prósperos antes da crise econômica. Sapatos, roupas, cosméticos e coisas supérfluas eram meu calcanhar de aquiles e eu tinha, na época, condições de colecionar uma infinidade desses produtos, na maior parte das vezes por puro desejo e exagero.
Aconteceu o que demoramos a entender: a crise econômica que se prolonga até os dias de hoje e que mexeu muito com o padrão de vida dos brasileiros.  
E como eu estava inserida? Total despreparo para me adaptar. Insistia em manter o mesmo padrão de consumo e ainda tentando viajar.
Logo comecei a sentir os impactos da crise econômica e percebi que o meu poder de compra foi diminuindo. Cada vez mais me deparava com uma vontade imensa de viajar, mas mantinha meus hábitos de consumo. Eu tinha em mente que não iríamos ter uma crise tão longa que causaria um problema tão sério na mudança de comportamento do brasileiro. 

Meu desafio era: como manter o meu desejo de viajar sem mexer no meu padrão de vida?
O problema não estava no meu padrão de vida, mas nos meus hábitos de consumo exagerados que me levavam a colecionar e acumular coisas desnecessárias.  Ou mudava radicalmente meus hábitos de consumo, ou teria que abrir mão de algo muito importante para mim: viajar!

Como fazer isso?
Lancei mão da minha capacidade de planejar e decidi mudar. Em etapas, vou contanto aqui como me readequei à uma nova realidade.

A primeira decisão: não acumular e desapegar!
Eu sempre gostei e tive uma atenção especial para coisas boas e de qualidade que foram sendo incorporadas à minha rotina, assim que pude tê-las no meu padrão financeiro. Marcas eram muito importantes para mim, já que, fruto do meu trabalho, almejei consumi-las. Além disso, eu tinha uma péssima mania de “estocar”.  Eu pensava assim: se o preço está bom, vou comprar logo 2. Estou falando de coisas que duram quase uma vida inteira, como maquiagem, roupas e sapatos e essa trilogia quebra qualquer mulher se não souber a melhor forma de consumir atualmente.
Comecei avaliando meu “acervo” e descobri uma infinidade de produtos vencidos de grandes marcas e sapatos e roupas nunca usados. Então eu decidi primeiramente:
1.    Usar tudo que tenho até acabar
2.    Conhecer novas marcas e pesquisar muito antes de comprar
3.    Buscar novas formas de aquisição: promoções e descontos e compras por internet
Existe um conceito de vida minimalista que admiro muito, mas ainda estou muito longe de chegar e que vem sendo difundido mundialmente, que me ajudou em partes. Minimalista sem comprometer a qualidade no meu dia-a-dia, já que viajar é meu foco, mas também tenho outras coisas a serem desfrutadas.  Como foi difícil começar! Precisei de disciplina e uma mudança mental de “preciso daquilo” para “ainda não preciso daquilo”.

Veja bem: eu não decidi parar de ter as coisas que gosto, mas planejar melhor quando e como adquiri-las.  Desde então pratiquei e percebi que tinha muito dinheiro “dentro do guarda-roupa” parado!

Cada vez que ia a um shopping center e me deparava com aquela invasão produtos maravilhosos que me levava a um desejo imenso de comprar, passei a me observar melhor e me questionar: preciso disso ou eh só um desejo ou fuga por algum motivo?
Mudar marcas e pesquisar mais, buscando sempre bons preços com qualidade compatível e conhecer novas opções, até mesmo prestigiar comercio de bairro e produtos e similares foram passos sequenciais.  Passei a acompanhar sites e blogs com as dicas das coisas novas que estavam entrando no mercado e aproveitava as viagens (SP, Goiânia, por exemplo) para comprar no preço melhor o que eu queria.
Tive que aprender a comprar por outros canais para economizar. Essa etapa foi mais difícil, pois sempre gostei muito da compra física e de pegar, de sentir, experimentar. Porém, alguns produtos eu comecei a namorar no e-commerce e descobri o mundo dos cupons de descontos!
Essa forma comprar com cupons de desconto tem-se multiplicado muito no Brasil e são uma grande opção para economizar em compra de serviços e produtos.  Pesquisei muitas plataformas, testei algumas e descobri o cupom valido, um site que reúne promoções e cupons de desconto em compras online, totalmente seguro e que divulga promoções e cupons. A compra ocorre diretamente no site da loja, os cupons são gratuitos e não precisa nem de cadastro para utilizar. Passei a adquirir produtos de marcas que gosto, a preços melhores, em épocas de descontos. Viu só? Nem tanto a terra, nem tanto ao mar: programar suas compras e usar bons canais. 
Em resumo é o seguinte:
Eu priorizo viajar, mas não abro mão de ter “minha qualidade” de consumo. Como ter os dois? Ajustando para a nova realidade os hábitos de consumo:

Para que acumular muito coisas que me dão prazer momentâneo, comprar por impulso um prazer de poucas horas? Será que realmente preciso daquilo? Se o sentimento se mantiver depois de 2 dias: volto, avalio a melhor forma de comprar e compro! Caso contrário, esqueço!

Quer uma sugestão? Coloca na ponta do lápis:
1.Quanto do seu rendimento mensal vai para itens como roupas, bolsas, sapatos, maquiagem e acessórios?
2.Quanto custa (em média) a viagem que você gostaria de fazer?
3.Se você comparar o valor da viagem com as compras relativas a esses itens, por um período de tempo, em quanto tempo você conseguiria realizar sua viagem?
4.Caso você fique alguns meses sem gastar tanto com os itens que “levam” parte do seu orçamento mensal e te impede de viajar, você passaria necessidade por falta de roupas, sapatos e maquiagem?

No próximo post vou falar da mudança de hábito 2!
Aguarde, mas comece já a sua mudança!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço seu comentário. Andrea Pires

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Cadastre seu e-mail

Tags

Adquira aqui seu e-book